SEGUE LÁ MEU INSTAGRAM

SEGUE LÁ MEU INSTAGRAM
é só clicar na imagem

Pesquisar neste Blog

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

Saiba tudo sobre a Doença de Parkinson



O que é Parkinson?
Parkinson é uma doença progressiva do sistema neurológico que afeta principalmente o cérebro. Este é um dos principais e mais comuns distúrbios nervosos da terceira idade e é caracterizado, principalmente, por prejudicar a coordenação motora e provocar tremores e dificuldades para caminhar e se movimentar. Não há formas de se prevenir o Parkinson.

Causas

As células nervosas usam uma substância química do cérebro chamada dopamina para ajudar a controlar os movimentos musculares. O Parkinson ocorre quando as células nervosas do cérebro que produzem dopamina são destruídas lenta e progressivamente. Sem a dopamina, as células nervosas dessa parte do cérebro não podem enviar mensagens corretamente. Isso leva à perda da função muscular. O dano piora com o tempo.

Fatores de risco

Alguns fatores são considerados de risco para o desenvolvimento do Parkinson. Veja:
·                     Idade: jovens adultos raramente apresentam a doença de Parkinson, pois ela é mais comum em pessoas na terceira idade. O risco do Parkinson aumenta com a idade. As pessoas costumam desenvolver a doença em torno de 60 anos de idade ou mais.
·                     Hereditariedade: Ter um parente próximo com a doença de Parkinson aumenta as chances de uma pessoa desenvolver a doença. No entanto, os riscos ainda são pequenos, a menos que a pessoa tenha muitos parentes que apresentem a doença.
·                     Gênero: homens são mais propensos a desenvolver a doença de Parkinson do que mulheres.
·                     Exposição a toxinas: exposição contínua a herbicidas e pesticidas pode colocar uma pessoa em um risco ligeiramente aumentado de doença de Parkinson.

Sintomas de Parkinson
O Parkinson pode afetar apenas um ou ambos os lados do corpo, e o grau de perda de funções causada pela doença pode variar dependendo do caso.
Os sintomas costumam ser suaves no início, incluindo:
·                     Tremores.
·                     Lentidão dos movimentos.
·                     Rigidez muscular.

Diagnóstico de Parkinson

Não existem exames disponíveis para diagnosticar Parkinson. Um neurologista irá diagnosticar a doença com base no histórico médico do paciente e na revisão de seus sinais e sintomas, além de um exame neurológico e físico.
O médico pode, ainda, solicitar alguns exames para descartar outras condições que possam estar causando os sintomas.

Tratamento de Parkinson

Não há cura conhecida para o Parkinson. O objetivo do tratamento é, prioritariamente, controlar os sintomas. Para isso, são usados basicamente medicamentos. Mas uma cirurgia pode ser necessária em alguns casos.
O médico também poderá recomendar mudanças no estilo de vida do paciente, especialmente a inclusão de exercício aeróbio contínuo no dia a dia da pessoa doente. Em alguns casos, a terapia física também será necessária para melhorar o senso de equilíbrio do paciente.

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Não ao projeto de lei 372/2017

Apresentado pela senadora Kátia Regina de Abreu, o Projeto de Lei do Senado 372/2017 exime a obrigatoriedade da presença do farmacêutico durante todo o horário de funcionamento do estabelecimento em farmácias constituídas como Microempreendedor Individual (MEI) e Microempresas. O CRF-PR se posiciona contra o projeto que altera a Lei 13021/2014.
 Farmacêuticos digam não a esse retrocesso! 
Acesse o link e participe da Consulta Pública no site do Senado: https://bit.ly/2gfr3pw  VOTE NÃO!

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Saiba para que serve e onde encontrar a Vitamina D




A principal função da vitamina D no organismo é facilitar a absorção de cálcio pelo organismo, que é essencial para o desenvolvimento saudável dos ossos e dos dentes. Além de melhorar a saúde óssea, a vitamina D previne doenças como obesidade e diabetes.
A vitamina D é importante para regulação do metabolismo ósseo, e age como hormônio mantendo em quantidades adequadas o cálcio e fósforo presentes no sangue, através do aumento ou diminuição da absorção desses componentes no intestino delgado.

As funções da vitamina D no organismo são:
·       Aumentar a absorção do cálcio e do fósforo no intestino;
·       Fortalecer ossos e dentes, tornando-os mais saudáveis;
·       Prevenir doenças como obesidade, diabetes, hipertensão e esclerose múltipla;
·       Aumentar a produção de músculos;
·       Melhorar o equilíbrio;
·       Fortalecer o sistema imunológico;
·       Melhorar a saúde cardiovascular;
·       Prevenir alguns tipos de câncer, como os de cólon, de reto e da mama;
·       Prevenir o envelhecimento precoce.

Onde encontrar a vitamina D

A vitamina D pode ser encontrada em alimentos como peixes, frutos do mar, óleo de fígado de bacalhau, gema de ovo e leite e derivados.
Além das fontes naturais, a vitamina D também pode ser encontrada na forma de suplementos em cápsulas ou em gotas, que só devem ser usados em casos de deficiência dessa vitamina. A quantidade de suplemento a ser tomada varia de acordo com a idade, a dose do medicamento e o grau de deficiência vitamínica, e crianças e mulheres grávidas só devem tomar o suplemento de vitamina D de acordo com orientação médica.

Os sintomas de deficiência de vitamina D no organismo são: diminuição do cálcio e do fósforo no sangue, dor e fraqueza muscular, enfraquecimento dos ossos, osteoporose nos idosos, raquitismo nas crianças, osteomalácea.

Os principais sintomas do excesso de vitamina D são falta de apetite, náuseas, vômitos, aumento da frequência urinária, fraqueza, hipertensão arterial, sede, coceira na pele e nervosismo. No entanto, o excesso de vitamina D só ocorre devido ao uso exagerado de suplementos dessa vitamina.

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Saiba mais sobre a febre



O que é Febre?
A febre é um aumento temporário da temperatura do seu corpo, muitas vezes devido a uma doença. Ter febre é um sinal de que algo fora do normal está acontecendo em seu corpo.
A febre é um fenômeno de defesa do organismo, quando sofre qualquer tipo de agressão. Tem como função, através do aumento da temperatura, melhorar o tempo de resposta das células do organismo, no sentido de destruir os invasores, geralmente vírus e bactérias.
A febre é sempre um motivo de preocupação, por ser um alerta de que alguma infecção pode estar se iniciando em nosso organismo.

Causas

Febre ocorre quando uma área em seu cérebro chamada hipotálamo percebe uma invasão de microorganismos, reage deslocando a temperatura corporal normal.
A temperatura corporal normal varia ao longo do dia, é mais baixa na parte da manhã e mais alta no final da tarde e início da noite. A maioria das pessoas considera 37°C uma temperatura normal, mas ela pode variar um pouco a menos, ficando entre 36,6° e 37,8°C. Fatores como ciclo menstrual ou exercícios pesados podem afetar a temperatura corporal.
Febre pode ser causada por: vírus, infecção bacteriana, insolação, queimadura de sol, certas condições inflamatórias, como artrite reumatoide, tumor maligno, alguns medicamentos e drogas, como antibióticos utilizados para tratar a pressão alta ou convulsão, reação adversa a algumas vacinas, desidratação.

Sintomas de Febre

Em adultos

Dependendo do que está causando a febre, sintomas adicionais podem incluir suor, tremedeira, dor de cabeça, dores musculares, perda de apetite, desidratação, fraqueza geral.
Febres altas entre 39,4°C e 41,1°C podem causar alucinação, confusão, irritabilidade, convulsão, desidratação.

Em crianças e bebês

Uma criança tem febre quando a temperatura é igual ou superior a um destes níveis:
·         Temperatura bucal maior do que 37,5 °C
·         Temperatura axilar maior do que 37,3 °C
Um sinal comum de febre em bebês é uma testa quente, mas isso não suficiente para diagnosticar febre. Bebês e crianças também podem sentir mais preguiça do que o normal.
Outros sintomas associados à febre em bebês e crianças incluem falta de sono, má alimentação, falta de interesse em jogos, letargia, convulsão.

Tratamento de Febre

Os tratamentos variam de acordo com a causa da febre. Por exemplo, antibióticos seriam utilizados para uma infecção bacteriana, como faringite estreptocócica.
No geral, os tratamentos mais comuns para a febre incluem medicamentos como paracetamol, anti-inflamatórios não-esteroides e naproxeno.
Crianças e adolescentes não devem tomar ácido acetilsalicílico, uma vez que o consumo pode aumentar o risco de uma condição chamada síndrome de Reye.
Siga sempre à risca as orientações do seu médico ou farmacêutico e NUNCA se automedique.